Abertura das Atividades 2015.1 – Fortaleza

Abertura das Atividades 2015.1 – Fortaleza

Logo-CLIO

Abertura das Atividades de Formação

CLIO – Associação de Psicanálise inicia suas atividades de formação em 2015 com aula inaugural do Dr. Jean Luc Gaspard, professor da Université de Rennes 2 e coordenador do laboratório de Psicopatologia.

Tema da conferência:

 

“Pourquoi aime-t-on les enfants?”

(“Por que amamos as crianças?”)

 

Data: 19 de Março de 2015 – Quinta-feira

Horário: 20 horas

Local: CLIO – Associação de Psicanálise

Av. Dom Luís, 176 – Sala 1104

 

O evento é aberto ao público, entrada franca e vagas limitadas.

Interessados devem confirmar presença pelo e-mail cliopsicanalise@gmail.com

Ata de Fundação CLIO – Seção Garanhuns

Ata de Fundação CLIO – Seção Garanhuns

Logo-CLIO

CLIO – Associação de Psicanálise convida toda comunidade acadêmica, profissionais e interessados no saber psicanalítico à fundação da Seção Garanhuns – PE que ocorre hoje, dia 16 de Março de 2014, às 20 horas na Câmara Municipal de Garanhuns.

Estarão presentes:

Prof. Dr. Jean-Luc Gaspard
(Université Rennes 2 – France)

Prof.Dr. Henrique Figueiredo Carneiro
(Universidade de Pernambuco – Brasil)

Prof. Ms. Thiago Costa Matos Carneiro da Cunha
(Universidade de Fortaleza – Brasil)

Prof. Ms. Ricardo Pinheiro Maia Júnior
(Faculdade Maurício de Nassau – Brasil)

O evento é aberto ao público e a entrada é franca.

Atividades de Formação 2014.2

Atividades de Formação 2014.2

Logo-CLIO

CLIO – Associação de Psicanálise

Atividades de Formação 2014.2

Seminário I: A amnésia infantil e a recordação

A partir do destaque feito por Lacan sobre a importância da amnésia infantil para o dispositivo da clínica psicanalítica, o Seminário atual serve como avanço da discussão sobre a neurose, trabalhando o diferencial com a clínica da perversão, discutido no semestre anterior. A partir da pergunta pelo lugar da recordação, da repetição e da elaboração, a amnésia infantil serve como guia essencial para o descortinamento das formações do inconsciente e para situar o lugar da clínica psicanalítica.

Henrique Figueiredo Carneiro
Início: 18/09/2014
Horário: Quinzenalmente às Quintas-feira às 20:30h.

Seminário II: A Transferência na Clínica Psicanalítica: o silêncio do semblante?

A presença de alguém atrás do divã, em silêncio, marca um estereótipo difundido do psicanalista. Uma certa antipatia a respeito de sua figura no tratamento paira no ar diante da polifonia contemporânea. Mas, afinal, o silêncio causa desejo? Até onde o psicanalista pode-se fazer valer dele? Discutiremos estas proposições, a partir do exame da posição do analista enquanto semblante de objeto a, articulando os conceitos: pulsão, demanda e amor em função do desejo na relação transferencial. Assim, realizaremos tal percurso desde Freud até Lacan, com algumas incursões filosóficas e sociológicas sobre o tema do silêncio. Os principais objetivos são desmistificar a posição do analista e trazer à tona a discussão sobre o tratamento psicanalítico na contemporaneidade.

Thiago Costa Matos
Início: 24/09/2014
Horário: Quinzenalmente às Quartas-feira às 20:30h

Seminário III: Retorno à Freud pela Angústia

Na clínica, recebemos sujeitos afetados por uma angústia, por muitas vezes, inominável. A angústia, desta forma, não está localizada num objeto determinado, ela sequer parece encontrar-se capaz de ser delimitada. É uma “angústia de tudo e de nada, ao mesmo tempo”. Assim, o objetivo do seminário é o retorno à obra freudiana, no intuito de investigar as construções conceituais sobre a angústica como condição indispensável para o dispositivo na clínica atual.

Ricardo Pinheiro Maia Jr.
Início: 01/10/2014
Horário: Quinzenalmente às Quartas-feira às 20:30

Seminários Clínicos

A formação do analista implica a discussão de dispositivos clínicos. Neste sentido, a escuta, a intervenção, e a posição do analista toma a discussão de fragmentos clínicos indispensáveis para articular seminários conceituais, a supervisão e a transmissão em Psicanálise. Este seminário mensal apresenta discussões sobre casos publicados na nomenclatura psicanalítica, contemplando as diversas posições que o sujeito apresenta no dispositivo.

Responsáveis: Henrique Figueiredo, Thiago Costa e Ricardo Pinheiro.
Início: 25/09/2014
Horário: Mensalmente na última Quinta-feira do mês.

Grupo de Estudos: Iniciação à Clínica Psicanalítica Infantil

Os estudos freudianos abriram as portas para a relação da vida infantil com a constituição psíquica na história da humanidade. O objetivo deste grupo de estudos é resgatar e esclarecer esta relação, a partir do viés da sexualidade – enquanto prazer sentido no corpo e encontro com o Outro -, bem como traçar os princípios que fundamentam o exercício da clínica infantil em psicanálise.

Organizador: Thiago Costa Matos
Início: 18/09/2014 – Horário: 18h às 19h – Local: Universidade de Fortaleza (Sala será determinada)

ATIVIDADE QUINZENAL ABERTA AOS INTERESSADOS
Inscrições gratuitas por: thiagoclio80@gmail.com

Seminários de Base em Garanhuns:

Serão trabalhados conceitos fundamentais da Psicanálise, mensalmente, em turma organizada em Garanhuns – PE.

Datas e local serão definidos.

Início: 18 de Setembro de 2014 Término: Dezembro de 2014

Investimento (Entrada + 2 Cheques pré-datados): 3 x R$180,00 (profissionais) / 3 x R$120,00 (estudantes).

Interessados devem se inscrever com: Ricardo Pinheiro contato (85) 8702-6898 na CLIO.

CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE
Av. Dom Luís, 176 / sala 1104. Esquina com a rua Joaquim Nabuco. E-mail para contato: cliopsicanalise@gmail.com – Site: www.cliopsicanalise.org

Atividades de Formação – 2014.1

Atividades de Formação 2014.1

Seminário I: A amnésia infantil e o terror da recordação

Para Lacan, a importância da revelação do inconsciente na análise é a marca iniludível da presença da amnésia infantil. Estão presentes os desejos infantis sobre a mãe e sobre o fato de que estes estão esquecidos. É daqui que parte uma análise. Nesta lógica, podemos trabalhar com o dado de que o perverso em sua fantasia se enfrenta ao terror que se enlaça com as cenas primordiais. Isso gera uma posição diante do inconsciente ou daquilo que, de fato não deve ser esquecido. Na perversão, quem estancou os desejos infantis sobre a mãe? O pai, o sujeito ou a mãe? Esta pergunta serviu para a construção de um caso clínico que ilustra este percurso sobre o terror como marca subjetiva em um caso de perversão.

Henrique Figueiredo Carneiro
Início: 20/03/2014
Horário: Quinzenalmente às Quintas-feiras às 20h

Seminário II: A Transferência na Clínica Psicanalítica: o silêncio do semblante?

A imagem de uma pessoa atrás do divã, em silêncio, marca um estereótipo difundido do psicanalista. Uma certa antipatia a respeito de sua figura no tratamento paira no ar diante da polifonia contemporânea. Mas, afinal, o silêncio causa desejo? Até onde o psicanalista pode-se fazer valer dele? Discutiremos tais proposições, a partir do exame da posição do analista enquanto semblante de objeto a, articulando os conceitos: pulsão, demanda e amor em função do desejo na relação transferencial. Assim, realizaremos tal percurso desde Freud até Lacan, com algumas articulações filosóficas e sociológicas sobre o tema do silêncio. Os principais objetivos são tentar desmistificar a posição do analista e trazer à tona a eficácia do tratamento psicanalítico na contemporaneidade.

Thiago Costa Matos
Início: 26/03/2014
Horário: Quinzenalmente às Quartas-feiras às 20h, alternando com o Grupo de Estudos I.

Seminário III: O sujeito e seu sofrimento psíquico na interseção da psiquiatria e da psicanálise

Qual o lugar do diagnóstico psiquiátrico na clínica psicanalítica? Como lidar com o diagnóstico diferencial de estruturas não formadas na infância e adolescência? Tais indagações estão presentes no quotidiano da clínica com crianças e adolescente, onde os pais estão cada vez mais procurando o Psicanalista com diagnósticos já pré-formados para seus filhos de TDAH, autismo, depressão, dentre outros. Na maioria das vezes essas conclusões não foram feitas pelos médicos, elas são respaldadas pelo conhecimento popular das patologias. A discussão será alimentada por textos teóricos e exposições de casos clínicos.

Raquel Barreira Rolim
Início: 24/03/2014
Horário: Quinzenalmente às Segundas-feiras às 20h

Grupo de Estudos I: O Ato como resposta subjetiva diante da Angústia

Tomando a referência de Lacan e retornando aos textos freudianos, propomos o estudo das modalidades do ato como respostas às demandas do laço social. Sendo assim, o enfoque dado será nos conceitos de Passagem ao Ato e Acting-out. O objetivo é o entendimento e a diferenciação dos dois conceitos, a partir de bibliografia recomendada e alguns recortes clínicos.

Ricardo Pinheiro Maia Jr.
Início: 02/04/2014
Horário: Quinzenalmente às Quartas-feiras às 20h, alternando com o Seminário II.

Seminários de Base em Garanhuns:

Serão trabalhados conceitos fundamentais da Psicanálise, mensalmente, em turma organizada em Garanhuns – PE.

Início: 20 de Março de 2014 Término: 19 Junho de 2014

Investimento (Entrada + 2 Cheques pré-datados): 3 x R$180,00 (profissionais) / 3 x R$120,00 (estudantes de graduação)

Observação: Os interessados devem se inscrever com Ricardo Pinheiro, na CLIO. Contato: (85) 8702-6898.

Ficha de Inscrição: Ficha de Inscrição

Cartaz: Seminário de Formação