Atividades de Formação 2017.2 – Fortaleza-CE

Atividades de Formação 2017.2 – Fortaleza-CE

CLIO – Associação de Psicanálise

SEMINÁRIOS DE FORMAÇÃO 2017.2


Seminários em dias de terças e quartas às 20h.

Início das atividades: 12 de Setembro de 2017 às 20h

Local: CLIO – Associação de Psicanálise

Av. Dom Luís, 176, sala 1104 – Aldeota – Fortaleza – Ceará

Investimento:

Estudantes de Graduação – 3x R$140,00

Profissionais – 3x R$200,00

Inscrições

Interessados devem entrar em contato com: Ricardo Pinheiro  (85)98702-6898 ou Camila Guimarães (85)99998-8246


SEMINÁRIOS ÀS TERÇAS-FEIRA

A Clínica do sujeito e o mal de Alzheimer

O Real e o Gozo – paradoxos no ethos psicanalítico

Tópico: Esquecimento no corpo Inconsciente e Lalíngua.

Tratando o inconsciente como efeito do discurso do Outro, o esquecimento produzido por esse efeito nunca é de todo exitoso, pelo fato único de que o que está para ser esquecido constitui o sujeito.  Uma conseqüência é que mesmo diante da falta de Memorização, algo insiste na constatação de que o sujeito está lá no corpo pulsional e no esvaecimento do Laço. Resta o caminho do falasser como dispositivo inconsciente.

Responsável: Henrique F. Carneiro

O sujeito compreendido pela psicanálise é aquele que se encontra no constante impasse da sua condição desejante. Na lição lacaniana, sabe-se que o desejo subjetivo é sempre o desejo do Outro e que o Real “não cessa de não se escrever”. Nas tentativas de responder às demandas do Outro e de apreender o inapreensível é que emergem as construções subjetivas, aí residem as apostas do psicanalista. Entretanto, o que ocorre quando, aparentemente, tal lógica subjetiva está enfraquecida ou quando o sujeito desconstrói para não construir um sustentáculo para seu desejo? O seminário atual pretende discutir tal problemática a partir da perspectiva clínica envolta nos paradoxos do Gozo nos movimentos subjetivos diante do Real.

Responsável: Ricardo Pinheiro

SEMINÁRIOS ÀS QUARTAS-FEIRA

As tragédias Gregas e o entrelaçar com a psicanálise

Pulsão de Morte e Gozo: repercussões na teoria e clínica psicanalítica – parte 2

O objetivo desse seminário e construir um entrelaçar entre o saber da psicanálise da tragédia grega para refletir o que elas têm a falar sobre a paixão/ phatos humano.  As tragédias gregas, assim como a psicanálise, nos falam sobre: o amor, o sexo, e a morte, e são essas as temáticas que serão debatidas nesse seminário. Por isso se busca a tragédia para trabalhar a temática em um retorno ao mítico para debater temas como o parricídio e filicídio na dinâmica da subjetiva do homem.

Responsável: Camila Guimarães

A Pulsão de morte reconduz a teoria psicanalítica aos seus trilhos em função daquilo que se articula à sexualidade, ao amor, a vida e a morte. O impulso à repetição é mais forte que o impulso ao prazer. Constatação freudiana que, através dos desdobramentos narcísicos, abala os fundamentos da Psicanálise. Passados quase 100 anos, o conceito de pulsão de morte, aliado aos desenvolvimentos lacanianos em torno da dimensão do gozo, questiona o saber do analista em função das sintomatologias de nossa época. O presente seminário tem como objetivo percorrer este percurso em Freud e Lacan apontando para o redimensionamento de uma escuta clínica atenta aos efeitos sutis e silêncios do gozo em nosso tempo.

Responsável: Thiago Costa

Atividades de Formação 2016.2 – Garanhuns-Pe

CLIO – Associação de Psicanálise

Atividades de Formação 2016.2


Seminário I: Clínica introdutória sobre a aposta no sujeito no mal de Alzheimer

A partir da incidência de episódios desencadeadores de quadros clínicos de desorganização subjetiva, a palavra e a resposta, tomadas pelo corpo, na desordem do esquecimento, apresentam um sujeito preso nas malhas da repetição. Com isso, a clínica do sujeito com mal de Alzheimer trabalha com uma invasão de formações inconscientes, movidas por uma força psíquica avassaladora, pela ação da Pulsão de Morte, que empurra o sujeito na direção de uma dinâmica psíquica essencialmente regressiva. Desta forma, o desejo, a palavra e o corpo se apresentam fusionados, e quase imperceptíveis à escuta, a não ser que o desejo do analista ocupe, de fato, uma posição que vá além da escuta do simbólico, e possa perscrutar o sujeito pela via do fragmentário texto que insiste em La Langue, lugar onde essa fusão demanda a clínica do real. Um autêntico trabalho a ser feito pelo rastreio da posição do inconsciente, ali onde ele aparece nos efeitos desse corte.

Responsável: Henrique F. Carneiro


Seminário II: Sujeito, Identidade e Identificações: afinal, o que somos? (Parte II)

Propomo-nos a aprofundar as questões do sujeito em psicanálise, a partir da problematização dos conceitos de identidade e de identificação. Afinal de contas, o que somos? Como construímos uma imagem que nos traz a sensação de sermos nós mesmos? E, nesse sentido, em meio à massificação cultural da atualidade, como podemos pensar a própria identidade do sujeito? Os fundamentos psicanalíticos sobre Narcisismo, Sexualidade, Complexo de Édipo e Significante serão revisitados, a fim de articularmos as armadilhas fomentadas pelo discurso capitalista, que influenciam a construção de diagnósticos pueris e apagam a posição subjetiva do sujeito na cena clínica.

Responsável: Thiago Costa Matos


Seminário III: Da práxis do analista à ética trágica da Psicanálise

A partir das discussões em torno da concepção de angústia na clínica psicanalítica, da posição e do ‘desejo maior’ do analista, o objetivo deste seminário parte do questionamento: se o analista atua de acordo com a manutenção da condição desejante do sujeito e, também, com intervenções no campo da retificação subjetiva, como tal prática coloca o sujeito diante dos limites do seu desejo? Os encontros seguirão a articulação lacaniana de Kant com Sade e a tragédia de Antígona no interesse de uma problematização da dimensão ética do desejo em Psicanálise.

Responsável: Ricardo P. Maia Jr.


Início das atividades: 03/09/2016

Investimento

Profissionais – 3x R$180,00

Estudantes de Graduação – 3x R$120,00

Interessados devem entrar em contato com Zil Pontes, pelo fone: (87) 9 9614 4208. Os interessados em ingressar na CLIO poderão  assistir os seminários do sábado (03/09) e no final às 17h farão as entrevistas com Thiago e Ricardo.

Os seminários acontecem nas terças-feiras , quinzenalmente, das 19h às 22h, com o professor Henrique Carneiro e um sábado por mês com os Professores Thiago Costa e Ricardo Maia.

Para maiores informações: cliopsicanalise@gmail.com


CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE

 

 

Atividades de Formação – 2016.2 – Fortaleza-CE

Atividades de Formação – 2016.2 – Fortaleza-CE

CLIO – Associação de Psicanálise


Atividades de Formação 2016.2
Sessão Fortaleza

Seminário I: Clínica introdutória sobre a aposta no sujeito no mal de Alzheimer

A partir da incidência de episódios desencadeadores de quadros clínicos de desorganização subjetiva, a palavra e a resposta, tomadas pelo corpo, na desordem do esquecimento, apresentam um sujeito preso nas malhas da repetição. Com isso, a clínica do sujeito com mal de Alzheimer trabalha com uma invasão de formações inconscientes, movidas por uma força psíquica avassaladora, pela ação da Pulsão de Morte, que empurra o sujeito na direção de uma dinâmica psíquica essencialmente regressiva. Desta forma, o desejo, a palavra e o corpo se apresentam fusionados, e quase imperceptíveis à escuta, a não ser que o desejo do analista ocupe, de fato, uma posição que vá além da escuta do simbólico, e possa perscrutar o sujeito pela via do fragmentário texto que insiste em La Langue, lugar onde essa fusão demanda a clínica do real. Um autêntico trabalho a ser feito pelo rastreio da posição do inconsciente, ali onde ele aparece nos efeitos desse corte.

Prof Henrique Carneiro
Início: 22/08/2016
Horário: Segundas, às 20:30hs (quinzenal)

Seminário II: Sujeito, Identidade e Identificações: afinal, o que somos? (Parte II)

Propomo-nos a aprofundar as questões do sujeito em psicanálise, a partir da problematização dos conceitos de identidade e de identificação. Afinal de contas, o que somos? Como construímos uma imagem que nos traz a sensação de sermos nós mesmos? E, nesse sentido, em meio à massificação cultural da atualidade, como podemos pensar a própria identidade do sujeito? Os fundamentos psicanalíticos sobre Narcisismo, Sexualidade, Complexo de Édipo e Significante serão revisitados, a fim de articularmos as armadilhas fomentadas pelo discurso capitalista, que influenciam a construção de diagnósticos pueris e apagam a posição subjetiva do sujeito na cena clínica.Thiago Costa Matos


Início: 24/08/2016
Horário: Quartas, às 20:30hs (quinzenal)
Seminário III: Da práxis do analista à ética trágica da Psicanálise (Parte II)
O seminário segue, a partir das articulações da leitura de “Kant com Sade” e da discussão acerca da lei do desejo, nos apontamentos sobre o savoir-faire do analista em junção com a ética do desejo. Aqui, não se trata de um conjunto de valores normativos morais do indivíduo; mas, de maneira contrária, de uma cadeia de princípios e valores subjetivos que norteiam o Sujeito ($). É disso que se trata a ética do desejo. O objetivo, então, é tomar como base a leitura do Seminário 7 de Lacan e abrir campo de reflexão sobre os paradoxos éticos na contemporaneidade. Como fica a posição subjetiva entre imperativos que tentam destituir o Sujeito? E, neste sentido, por que a experiência psicanalítica apresenta-se numa dimensão trágica?
Ricardo Maia
Início: 29/08/2016
Horário: Segundas, às 20:30hs (quinzenal)

Seminário IV: Belas Mascaradas e Belas Mortas entre a reivindicação e o impossível: Uma reflexão sobre a histeria e a neurose obsessiva na mulher.

O presente seminário tem como objetivo apresentar a produção discursiva sobre a feminilidade em Freud e Lacan. Indagando qual o não lugar da mulher e como uma mulher se designa frente ao desejo do outro na histeria e na neurose obsessiva. Para abordar a temática das possibilidades de inscrição da feminilidade é preciso antes adentrar nos estudos acerca da sexualidade feminina em Freud, problematizando a questão “o que quer uma mulher?” Tanto para a neurótica obsessiva, que se insere no campo da masculinidade, como à histérica que constrói uma mascarada do feminino. Tal indagação parte do pressuposto de que o sexo não determina categoricamente a escolha da neurose. Assim onde está o feminino na histérica ou na obsessiva? Logo, precisa-se revisitar a teoria psicanalítica sobre o que é uma mulher e a feminilidade, para posteriormente ir relativizando e tecendo as diferenciações e peculiaridades de se analisar uma mulher uma a uma.

Camila Guimarães

Início: 22/08/2016
Horário: Terças, às 20:00hs (quinzenal)
 Seminários Clínicos: mensalmente, no último sábado do mês, ocorre um Seminário Clínico. O objetivo é a apresentação e discussão de um caso proposto.
Investimento (Entrada + 2 Cheques pré-datados): 3x R$200,00 (Profissionais) / 3x R$140,00 (Estudantes-Graduação)
Observação: Interessados devem se inscrever com: Ricardo Pinheiro contato (85)98702-6898 e Camila Guimarães (85)99998-8246.
CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE

www.cliopsicanalise.org
Av. Dom Luís, 176 / sala 1104. Esquina com rua Joaquim Nabuco.
E-mail para contato: cliopsicanalise@gmail.com

Seminário de Férias – CLIO – Fortaleza

Seminário de Férias - 2016

 

Seminário de Férias – CLIO – Fortaleza

Aos interessados, neste mês de Julho/2016, ocorrerá na CLIO – Associação de Psicanálise em Fortaleza o Seminário “O nomes (im)possíveis de uma mulher: a produção discursiva acerca da feminilidade”.

Responsável: Camila Guimarães

Início: 05/07/2016
Horário: Terça-feira, às 19h (semanal)
Investimento: R$ 20 (Passantes CLIO) – R$ 50 (Externos)
Local: Av. Dom Luís 176, sala 1104.

Contato: (85) 999988246

5VCA – Certificados

5VCA – Certificados

Certificados do V Congresso Internacional sobre Violência, Culpa e Ato e do I Congresso de Psicanálise em Rede: Teorias e Práticas acadêmicas e profissionais

Os certificados do eventos estão publicados no site e podem ser encontrados nos links respectivos.

Certificados de Participação do Evento: LINK


Certificados da Comissão Organizadora do Evento: LINK


Certificados de Apresentação de Trabalhos nas Mesas-Redondas: LINK


Certificados de Apresentação de Trabalhos nos Pôsteres Eletrônicos: LINK


Certificados de Participação dos Mini-Cursos: LINK


Para correções, dúvidas e esclarecimentos, entre em contato com a Comissão Organizadora pelo email cliopsicanalise@gmail.com

5VCA – Translado Recife-Garanhuns

5VCA – Translado Recife-Garanhuns

Será disponibilizado um ônibus para Translado Recife-Garanhuns / Garanhuns-Recife.

 

Informações sobre o ônibus

O valor cobrado pelo translado será de R$ 50,00 por pessoa, este valor garante a ida e a volta.
Saída de Recife (Aeroporto) -> Garanhuns:
Dia 31/05 às 17:30 – Calçada próxima ao Portão A6
Retorno Garanhuns -> Recife (Aeroporto):
Dia 03/06 às 17:30

Pessoas interessadas devem reservar sua vaga por email (cliopsicanalise@gmail.com), informando nome completo e contato, e estarem presentes no local indicado da saída no Aeroporto.

Pré-Congresso 2016 – Fortaleza-CE

Pré-Congresso 2016 – Fortaleza-CE

CLIO – Associação de Psicanálise convida interessado(a)s à atividade de lançamento do V Congresso Internacional sobre Violência, Culpa e Ato que terá como discussões:

“Identidade e falasser: os Não-Lugares na Clínica Psicanalítica”

Prof. Ms. Thiago Costa Matos Carneiro da Cunha

“A institucionalização do Corpo e os Não-Lugares do Sujeito”

Prof. Ms. Ricardo Pinheiro Maia Júnior

Local

UNIVERSIDADE DE FORTALEZA

Auditório A3

Data e Horário

Segunda-feira, 16 de Maio de 2016 às 17h.

Realização

Logo-CLIO

Pré-Congresso 2016 – Garanhuns-PE

Pré-Congresso 2016 – Garanhuns-PE

 

Tema: O sofrimento psíquico e o acolhimento na cidade.
Palestrante: Prof. Dr. Henrique Figueiredo Carneiro
Data e Horário: 10 de Maio de 2016 às 20 horas
Local: Auditório da Universidade de Pernambuco – Campus Garanhuns.

 

 

Interessados em acompanhar a atividade devem reencher o formulário Pré congresso – V Congresso Internacional sobre Violência, Culpa e Ato. Para preenchê-lo, clique AQUI
Atividades de Formação 2016.1 – Garanhuns-PE

Atividades de Formação 2016.1 – Garanhuns-PE

CLIO – Associação de Psicanálise

Atividades de Formação 2016.1

Seminário I:  Esquecimento e invasão de recordações III –  A clínica do esquecimento: o sujeito e a pulsão de morte no percurso do Mal de Alzheimer

O esquecimento é a premissa fundamental que implica no tropeço do sujeito no encontro com a palavra. Esquecer pode ser um ato do qual pode servir-se o sujeito como forma de trabalho inconsciente contra o desamparo a que a palavra o lança… Ao mesmo tempo, o esquecimento pode estar a serviço da pulsão de morte, que em sua relação impossível com o real, cumpre a missão silenciosa de um movimento que “não cessa de não se inscrever”…. É daí que o inconsciente pode ser acessado, desta operação de repetição que convoca a pulsão de morte como uma aliada e uma alienada constante, presente  na construção do desejo do sujeito de “não-mais-viver”.
Henrique Figueiredo Carneiro
Início: 05/04/2016
Horário: Terças (19:30 às 21:30, quinzenalmente)

Seminário II: Sujeito, Identidade e Identificações: afinal, o que somos?

Propomo-nos a aprofundar as questões do sujeito em psicanálise, a partir da problematização dos conceitos de identidade e de identificação. Afinal de contas, o que somos? Como construímos uma imagem que nos traz a sensação de sermos nós mesmos? E, nesse sentido, em meio à massificação cultural da atualidade, como podemos pensar a própria identidade do sujeito? Os fundamentos psicanalíticos sobre Narcisismo, Sexualidade, Complexo de Édipo e Significante serão revisitados, a fim de articularmos as armadilhas fomentadas pelo discurso capitalista, que influenciam a construção de diagnósticos pueris e apagam a posição subjetiva do sujeito na cena clínica.
Thiago Costa Matos
Início: 02/04/2016
Horário: Sábados (8h às 12h, mensalmente: 02/Abril, 7/Maio, Junho)

Seminário III: O fazer do psicanalista

O atual seminário desenvolve-se sobre as condições da prática do analista e tem como objetivo a compreensão de qual é a posição do psicanalista e como o mesmo a sustenta  na clínica. Neste percurso, aprofunda-se na discussão da técnica psicanalítica, na questão da hipótese diagnóstica e no manejo transferencial. A leitura acerca da associação livre e das estruturas clínicas, a partir do referencial freud-lacaniano, norteará a discussão do seminário acerca do questionamento: O que faz o Psicanalista?
Ricardo Pinheiro Maia Jr.
Início: 02/04/2016
Horário: Sábados (13h às 17h, mensalmente: 02/Abril, 7/Maio, Junho)
Início: 02 de Abril de 2016     Término: Junho de 2016
Investimento (Entrada + 2 Cheques pré-datados): 3x R$180,00 (Profissionais) / 3x R$120,00 (Estudantes-Graduação)
Observações: Aos passantes que já estão trabalhando junto conosco estaremos recebendo suas inscrições no período de 14 a 18/03/2016, das 14h às 17h, na UPE, Sala da Secretaria Acadêmica – Coordenação de Graduação.
Informamos também que a partir do dia 22 de março de 2016 estaremos agendando entrevistas para pessoas que possuem o interesse em fazer parte dos nossos estudos em Psicanálise, para tanto, é só entrar em contato com Zil Pontes, pelo fone: (87) 9 9614 4208 ou através deste e-mail para fazer o agendamento e obter maiores informações.
CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE
www.cliopsicanalise.org
E-mail para contato: cliopsicanalise@gmail.com
Atividades de Formação 2016.1 – Fortaleza

Atividades de Formação 2016.1 – Fortaleza

CLIO – Associação de Psicanálise
Atividades de Formação 2016.1

Seminário I: Esquecimento e invasão de recordações III – A clínica do esquecimento: o sujeito e a pulsão de morte no percurso do Mal de Alzheimer

O esquecimento é a premissa fundamental que implica no tropeço do sujeito no encontro com a palavra. Esquecer pode ser um ato do qual pode servir-se o sujeito como forma de trabalho inconsciente contra o desamparo a que a palavra o lança… Ao mesmo tempo, o esquecimento pode estar a serviço da pulsão de morte, que em sua relação impossível com o real, cumpre a missão silenciosa de um movimento que “não cessa de não se inscrever”…. É daí que o inconsciente pode ser acessado, desta operação de repetição que convoca a pulsão de morte como uma aliada e uma alienada constante, presente na construção do desejo do sujeito de “não-mais-viver”.

Henrique Figueiredo Carneiro
Início: 21/03/2016
Horário: Segundas, às 20hs (quinzenal)

Seminário II: Sujeito, Identidade e Identificações: afinal, o que somos?

Propomo-nos a aprofundar as questões do sujeito em psicanálise, a partir da problematização dos conceitos de identidade e de identificação. Afinal de contas, o que somos? Como construímos uma imagem que nos traz a sensação de sermos nós mesmos? E, nesse sentido, em meio à massificação cultural da atualidade, como podemos pensar a própria identidade do sujeito? Os fundamentos psicanalíticos sobre Narcisismo, Sexualidade, Complexo de Édipo e Significante serão revisitados, a fim de articularmos as armadilhas fomentadas pelo discurso capitalista, que influenciam a construção de diagnósticos pueris e apagam a posição subjetiva do sujeito na cena clínica.

Thiago Costa Matos
Início: 23/03/2016
Horário: Quartas, às 20:30hs (quinzenal)

Seminário III: Da práxis do analista à ética trágica da Psicanálise

A partir das discussões avançadas nos seminários anteriores sobre a concepção de angústia na clínica psicanalítica, da posição e do ‘desejo maior’ do analista, o objetivo deste seminário parte do questionamento: se o analista atua de acordo com a manutenção da condição desejante do sujeito e, também, com intervenções no campo da retificação subjetiva, como tal prática coloca o sujeito diante dos limites do seu desejo? Os encontros seguirão a articulação lacaniana de Kant com Sade e a tragédia de Antígona no interesse de uma problematização da dimensão ética do desejo em Psicanálise.

Ricardo Pinheiro Maia Jr.
Início: 28/03/2016
Horário: Segundas, às 20hs (quinzenal)

Grupo de Estudos I: A PRODUÇÃO DISCURSIVA ACERCA DA FEMINILIDADE Do único sexo à diferença sexual: uma leitura histórico-freudiana.

O grupo tem como objetivo traçar uma reflexão histórica sobre a diferença sexual e o lugar da mulher, além de apresentar uma síntese sobre o conceito de feminilidade em Freud e Lacan. O grupo pretende estabelecer uma leitura histórica sobre essa distinção entre os sexos e depois adentrar nos estudos psicanalíticos sobre a diferença sexual em Freud e Lacan. Assim, contextualiza tanto a inscrição do masculino e feminino na subjetividade e na sociedade ocidental, como no campo das neuroses.

Camila Guimarães
Início: 21/03/2016
Horário: Segundas, às 19hs (quinzenal)

Grupo de Estudos II: O analista como secretário do alienado.

A expressão “secretário do alienado” é construída por Lacan para falar do lugar do analista na escuta da psicose. É importante saber quem é este alienado a que Lacan se refere, resgatando as referências freudianas e sua possibilidade de tratamento. O Livro Seminário 3 “As psicoses”, de Jacques Lacan, será nossa leitura fundamental e o questionamento acerca do manejo clínico e do lugar do analista na escuta da psicose norteará as discussões do grupo.

Carla Renata B. de Souza Martinez
Início: 30/03/2016
Horário: Quartas, às 19:30hs (quinzenal)

Seminários Clínicos

Apresentação e discussão de casos clínicos

Participação de todos os membros do Corpo de transmissão da CLIO.

Horário: Sábados, às 16hs (datas: 09 de abril / 07 de maio / 18 de junho)

Grupo de Estudos III: Iniciação à Clínica Psicanalítica Infantil

Responsável: Thiago Costa Matos

Em andamento – Local: Universidade de Fortaleza – Sala M-48

Horário: Terças às 18:00 – 19:00 (Quinzenal)


Início: 21 de Março de 2016 Término: Junho de 2016
Investimento (Entrada + 2 Cheques pré-datados): 3x R$200,00 (Profissionais) / 3x R$140,00 (Estudantes-Graduação)
Observação: Interessados devem se inscrever com: Ricardo Pinheiro contato (85)98702-6898, Carla Renata Souza contato (85)99121-3924 e Thiago Costa (85) 99152-5535.

CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE
www.cliopsicanalise.org
Av. Dom Luís, 176 / sala 1104. Esquina com rua Joaquim Nabuco.

E-mail para contato: cliopsicanalise@gmail.com