Atividades de Formação 2015.1

Atividades de Formação 2015.1

Seção Fortaleza

Seminário I: Esquecimento e invasão de recordações I – melancolização e pulsão de morte

Na perspectiva da aposta no sujeito, não podemos esquecer que a relação entre natureza-cultura, real-simbólico, passado-presente, se perdem da amarração cognitiva que tenta imprimir ao inconsciente uma função de nulidade ao sujeito, sempre que esse perde sua função imaginária de produção no laço social. O seminário pretende fazer um resgate da função do esquecimento a partir da amnésia infantil, sua relação com o percurso do sujeito e a sustentação do desejo, até a predominância da pulsão de morte que instaura um retorno à melancolização como um estado mais próximo a instância do real. A pergunta que norteia o seminário é: podemos trabalhar com pacientes com extrema dificuldade de reviver cenas recentes como um esquecimento ou como uma demasiada incidência de recordações que o promove a um estado de  melancolização?

Responsável: Henrique Figueiredo Carneiro

Início: 09/04/2015

Horário: Quinzenalmente Quintas 20h

Seminário II: Reverberações do luto – o Supereu e o objeto de amor como pulsão de morte

O objeto em psicanálise se consolida, à medida que o próprio psiquismo se constitui. Extrai-se daí a importância que Freud dá ao termo objeto empregado desde a descoberta de como a sexualidade infantil – enquanto prazer sentido no corpo e encontro com o Outro – é preponderante para a constituição do Sujeito. A criação dos objetos de amor se desenvolve no início da vida, a partir dos traumas infantis, o que abre espaços para a angústia se fazer presente no momento de crenças ou ameaça de perda desses objetos preciosos (narcísicos) – matéria prima que compõe o Eu. Através de fragmentos de casos clínicos iremos demarcar a importância destes objetos na criação de saídas fantasmáticas, onde uma boneca, um desenho animado ou mesmo as brincadeiras infantis se mostraram essenciais na ressignificação do estado melancólico apresentado por analisantes no decorrer do tratamento.

Responsável: Thiago Costa Matos

Início: 07/04/2015

Horário: Quinzenalmente às Terças às 20h

Seminário III: A posição do analista diante da Angústia

Por muitas vezes, o analista é procurado por sujeitos desamparados, situação que desvela a própria angústia subjetiva. Tomando a Angústia como remetente ao trauma original, à perda constituinte, lida-se aí com um sujeito em curto-circuito no seu movimento desejante. O que cabe ao analista, àquele outro no processo transferencial, diante dessa situação? Com as leituras dos seminários passados acerca da Angústia na obra de Freud e, agora, nos avanços lacanianos, o objetivo é discutir e provocar uma reflexão sobre como é o manejo transferencial na clínica diante dessa posição subjetiva de desamparo e de angústia.

Responsável:  Ricardo Pinheiro Maia Júnior

Início: 14/04/2015

Horário: Quinzenalmente às Terças às 20h

Grupo de Estudos I: A Clínica Psicanalítica da Adolescência

Numa sociedade marcada pelos efeitos do discurso capitalista, somos conduzidos a pensar o sintoma social contemporâneo como vinculado ao esfacelamento das referências simbólicas compartilhadas no âmbito da cultura. Ao supormos que a entrada na adolescência implica em um trabalho intensivo de elaboração do laço social, podemos inferir que o adolescente é especialmente afetado pelos impasses relativos a essa transmissão. A psicanálise, então, vem sendo interrogada e levada a atuar frente às especificidades desse público e aos desafios impostos pelas mutações do laço social contemporâneo. Neste grupo de estudo, objetivamos discutir o lugar do analista na condução do tratamento com adolescentes, a partir de um retorno a Freud e Lacan, mas tomando como referência, também, as contribuições de autores contemporâneos.

Responsável:  Lorenna Pinheiro

Início: 09/04/2015

Horário: Quinzenalmente às Quintas às 18:30 – 19:30

Grupo de Estudos II: Introdução à Clínica Psicanalítica

Os objetivos desse grupo de leitura são situar o lugar do sujeito do inconsciente e o lugar do objeto como causa do desejo na psicanálise, delimitar o posicionamento político e ético da psicanálise como inseparável da técnica psicanalítica, além de introduzir os fundamentos da técnica psicanalítica em sua articulação com a direção do tratamento e por fim discutir a questão do manejo da transferência no tratamento articulada ao desejo do analista. Desse modo, um grupo de estudo sobre a clínica psicanalítica abre um espaço de debate sobre as contribuições da psicanálise na sociedade contemporânea, uma vez que possibilita o reposicionamento do sujeito diante de si mesmo, de modo que esse sinta-se implicado em seus sintomas, saindo de uma lógica puramente capitalista, que anula o sujeito através de imperativos: seja feliz, compre, coma, beba, transe, enfim: goze ilimitadamente. O sujeito para a psicanálise é o sujeito da linguagem. É esse sujeito bordeado pelo real, inscrito no simbólico através dos processos de alienação e separação, cujo objeto a, causa do desejo, é perdido. É esse sujeito desejante que iremos debater e trabalhar ao longo do semestre através da via da clínica.

Responsável: Camila Guimarães

Início: 07/04/2015

Horário: Quinzenalmente às Terças às 18:30 – 19:30

Grupo de Estudos III: Iniciação à Clínica Psicanalítica Infantil

Os estudos freudianos abriram as portas para a relação da vida infantil com a constituição psíquica na história da humanidade. O objetivo deste grupo de estudo é resgatar e esclarecer esta relação, a partir do viés da sexualidade – enquanto prazer sentido no corpo e encontro com o Outro –, bem como analisar os sintomas infantis e traçar os princípios que fundamentam o exercício da clínica com crianças em psicanálise.

Responsável: Thiago Costa Matos

Em andamento – Local: Universidade de Fortaleza – Sala M-48

Horário: Quinzenalmente às Terças às 18:00 – 19:00

 

 

Início: 07 de Abril de 2015 Término: Julho de 2015
Investimento: 3 x R$200,00 (Profissionais) 3 x R$140,00 (Estudantes de Graduação)
Os interessados devem se inscrever e marcar entrevistas com: Ricardo Pinheiro contato (85) 8702-6898, e Thiago Costa contato (85) 9152-5535.

CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE
Av. Dom Luís, 176 – sala 1104. Esquina com rua Joaquim Nabuco
www.cliopsicanalise.org – email: cliopsicanalise@gmail.com


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/cliopsic/public_html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273