Atividades de Formação 2016.1 – Garanhuns-PE

Atividades de Formação 2016.1 – Garanhuns-PE

CLIO – Associação de Psicanálise

Atividades de Formação 2016.1

Seminário I:  Esquecimento e invasão de recordações III –  A clínica do esquecimento: o sujeito e a pulsão de morte no percurso do Mal de Alzheimer

O esquecimento é a premissa fundamental que implica no tropeço do sujeito no encontro com a palavra. Esquecer pode ser um ato do qual pode servir-se o sujeito como forma de trabalho inconsciente contra o desamparo a que a palavra o lança… Ao mesmo tempo, o esquecimento pode estar a serviço da pulsão de morte, que em sua relação impossível com o real, cumpre a missão silenciosa de um movimento que “não cessa de não se inscrever”…. É daí que o inconsciente pode ser acessado, desta operação de repetição que convoca a pulsão de morte como uma aliada e uma alienada constante, presente  na construção do desejo do sujeito de “não-mais-viver”.
Henrique Figueiredo Carneiro
Início: 05/04/2016
Horário: Terças (19:30 às 21:30, quinzenalmente)

Seminário II: Sujeito, Identidade e Identificações: afinal, o que somos?

Propomo-nos a aprofundar as questões do sujeito em psicanálise, a partir da problematização dos conceitos de identidade e de identificação. Afinal de contas, o que somos? Como construímos uma imagem que nos traz a sensação de sermos nós mesmos? E, nesse sentido, em meio à massificação cultural da atualidade, como podemos pensar a própria identidade do sujeito? Os fundamentos psicanalíticos sobre Narcisismo, Sexualidade, Complexo de Édipo e Significante serão revisitados, a fim de articularmos as armadilhas fomentadas pelo discurso capitalista, que influenciam a construção de diagnósticos pueris e apagam a posição subjetiva do sujeito na cena clínica.
Thiago Costa Matos
Início: 02/04/2016
Horário: Sábados (8h às 12h, mensalmente: 02/Abril, 7/Maio, Junho)

Seminário III: O fazer do psicanalista

O atual seminário desenvolve-se sobre as condições da prática do analista e tem como objetivo a compreensão de qual é a posição do psicanalista e como o mesmo a sustenta  na clínica. Neste percurso, aprofunda-se na discussão da técnica psicanalítica, na questão da hipótese diagnóstica e no manejo transferencial. A leitura acerca da associação livre e das estruturas clínicas, a partir do referencial freud-lacaniano, norteará a discussão do seminário acerca do questionamento: O que faz o Psicanalista?
Ricardo Pinheiro Maia Jr.
Início: 02/04/2016
Horário: Sábados (13h às 17h, mensalmente: 02/Abril, 7/Maio, Junho)
Início: 02 de Abril de 2016     Término: Junho de 2016
Investimento (Entrada + 2 Cheques pré-datados): 3x R$180,00 (Profissionais) / 3x R$120,00 (Estudantes-Graduação)
Observações: Aos passantes que já estão trabalhando junto conosco estaremos recebendo suas inscrições no período de 14 a 18/03/2016, das 14h às 17h, na UPE, Sala da Secretaria Acadêmica – Coordenação de Graduação.
Informamos também que a partir do dia 22 de março de 2016 estaremos agendando entrevistas para pessoas que possuem o interesse em fazer parte dos nossos estudos em Psicanálise, para tanto, é só entrar em contato com Zil Pontes, pelo fone: (87) 9 9614 4208 ou através deste e-mail para fazer o agendamento e obter maiores informações.
CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE
www.cliopsicanalise.org
E-mail para contato: cliopsicanalise@gmail.com
Atividades de Formação 2016.1 – Fortaleza

Atividades de Formação 2016.1 – Fortaleza

CLIO – Associação de Psicanálise
Atividades de Formação 2016.1

Seminário I: Esquecimento e invasão de recordações III – A clínica do esquecimento: o sujeito e a pulsão de morte no percurso do Mal de Alzheimer

O esquecimento é a premissa fundamental que implica no tropeço do sujeito no encontro com a palavra. Esquecer pode ser um ato do qual pode servir-se o sujeito como forma de trabalho inconsciente contra o desamparo a que a palavra o lança… Ao mesmo tempo, o esquecimento pode estar a serviço da pulsão de morte, que em sua relação impossível com o real, cumpre a missão silenciosa de um movimento que “não cessa de não se inscrever”…. É daí que o inconsciente pode ser acessado, desta operação de repetição que convoca a pulsão de morte como uma aliada e uma alienada constante, presente na construção do desejo do sujeito de “não-mais-viver”.

Henrique Figueiredo Carneiro
Início: 21/03/2016
Horário: Segundas, às 20hs (quinzenal)

Seminário II: Sujeito, Identidade e Identificações: afinal, o que somos?

Propomo-nos a aprofundar as questões do sujeito em psicanálise, a partir da problematização dos conceitos de identidade e de identificação. Afinal de contas, o que somos? Como construímos uma imagem que nos traz a sensação de sermos nós mesmos? E, nesse sentido, em meio à massificação cultural da atualidade, como podemos pensar a própria identidade do sujeito? Os fundamentos psicanalíticos sobre Narcisismo, Sexualidade, Complexo de Édipo e Significante serão revisitados, a fim de articularmos as armadilhas fomentadas pelo discurso capitalista, que influenciam a construção de diagnósticos pueris e apagam a posição subjetiva do sujeito na cena clínica.

Thiago Costa Matos
Início: 23/03/2016
Horário: Quartas, às 20:30hs (quinzenal)

Seminário III: Da práxis do analista à ética trágica da Psicanálise

A partir das discussões avançadas nos seminários anteriores sobre a concepção de angústia na clínica psicanalítica, da posição e do ‘desejo maior’ do analista, o objetivo deste seminário parte do questionamento: se o analista atua de acordo com a manutenção da condição desejante do sujeito e, também, com intervenções no campo da retificação subjetiva, como tal prática coloca o sujeito diante dos limites do seu desejo? Os encontros seguirão a articulação lacaniana de Kant com Sade e a tragédia de Antígona no interesse de uma problematização da dimensão ética do desejo em Psicanálise.

Ricardo Pinheiro Maia Jr.
Início: 28/03/2016
Horário: Segundas, às 20hs (quinzenal)

Grupo de Estudos I: A PRODUÇÃO DISCURSIVA ACERCA DA FEMINILIDADE Do único sexo à diferença sexual: uma leitura histórico-freudiana.

O grupo tem como objetivo traçar uma reflexão histórica sobre a diferença sexual e o lugar da mulher, além de apresentar uma síntese sobre o conceito de feminilidade em Freud e Lacan. O grupo pretende estabelecer uma leitura histórica sobre essa distinção entre os sexos e depois adentrar nos estudos psicanalíticos sobre a diferença sexual em Freud e Lacan. Assim, contextualiza tanto a inscrição do masculino e feminino na subjetividade e na sociedade ocidental, como no campo das neuroses.

Camila Guimarães
Início: 21/03/2016
Horário: Segundas, às 19hs (quinzenal)

Grupo de Estudos II: O analista como secretário do alienado.

A expressão “secretário do alienado” é construída por Lacan para falar do lugar do analista na escuta da psicose. É importante saber quem é este alienado a que Lacan se refere, resgatando as referências freudianas e sua possibilidade de tratamento. O Livro Seminário 3 “As psicoses”, de Jacques Lacan, será nossa leitura fundamental e o questionamento acerca do manejo clínico e do lugar do analista na escuta da psicose norteará as discussões do grupo.

Carla Renata B. de Souza Martinez
Início: 30/03/2016
Horário: Quartas, às 19:30hs (quinzenal)

Seminários Clínicos

Apresentação e discussão de casos clínicos

Participação de todos os membros do Corpo de transmissão da CLIO.

Horário: Sábados, às 16hs (datas: 09 de abril / 07 de maio / 18 de junho)

Grupo de Estudos III: Iniciação à Clínica Psicanalítica Infantil

Responsável: Thiago Costa Matos

Em andamento – Local: Universidade de Fortaleza – Sala M-48

Horário: Terças às 18:00 – 19:00 (Quinzenal)


Início: 21 de Março de 2016 Término: Junho de 2016
Investimento (Entrada + 2 Cheques pré-datados): 3x R$200,00 (Profissionais) / 3x R$140,00 (Estudantes-Graduação)
Observação: Interessados devem se inscrever com: Ricardo Pinheiro contato (85)98702-6898, Carla Renata Souza contato (85)99121-3924 e Thiago Costa (85) 99152-5535.

CLIO – ASSOCIAÇÃO DE PSICANÁLISE
www.cliopsicanalise.org
Av. Dom Luís, 176 / sala 1104. Esquina com rua Joaquim Nabuco.

E-mail para contato: cliopsicanalise@gmail.com